Português

Utilizar ferramentas sem contacto para se manter fora de perigo

01 de Junho de 2020 | Segurança

Non-contact tools increase electrical safety

É a base de qualquer programa de segurança elétrica: limitar a exposição dos trabalhadores aos riscos elétricos de choque e arco elétrico. A utilização de cabos de teste e pinças para testar o interior de um painel com corrente ativa durante a resolução de problemas e a realização de tarefas de manutenção de rotina expõe sempre os trabalhadores a perigos. O equipamento de proteção pessoal (EPP) para trabalhos elétricos é uma última linha de defesa e nunca deve ser considerado como o principal método de proteção dos eletricistas e técnicos. No que diz respeito à segurança elétrica, é necessário dar prioridade às práticas de trabalho seguras, incluindo a utilização de ferramentas de teste sem contacto que permitam afastar os eletricistas do perigo.

Sempre que os trabalhadores estiverem expostos a perigos elétricos, é necessário estabelecer limites e utilizar vestuário adequado homologado para proteção contra arco elétrico e luvas isoladoras de borracha. A redução segura da quantidade do EPP utilizado, a redução do número de trabalhadores dentro dos limites e até mesmo o posicionamento total do técnico de teste ou do eletricista fora de todos os limites e afastados de potenciais perigos são as principais vantagens de segurança das medições sem contacto.

O passo mais simples

Obter dados de temperatura exatos
A utilização do termómetro de IV permite aos técnicos manterem-se a uma distância segura do equipamento e dos componentes para obter dados de temperatura exatos. Na obtenção de uma temperatura exata, é importante entender que aumentar a distância relativamente ao objeto medido diminui a exatidão da leitura, dado que o termómetro faz uma média da temperatura da área medida.

Entre as ferramentas de teste sem contacto mais simples de utilizar encontram-se os termómetros de infravermelhos (IV) sem contacto. Utilizar o punho tipo pistola da ferramenta para apontar um feixe de laser para o local onde pretende medir a temperatura produz uma leitura da temperatura no display. O feixe de laser destina-se apenas a "apontar" a ferramenta para a área a ser medida. A temperatura detetada depende da distância da ferramenta em relação ao ponto de medição. É necessário ter cuidado para obter resultados exatos.

No que diz respeito à segurança, utilizar um termómetro de IV significa que não será necessário subir escadas para verificar as temperaturas de escape da ventilação, não será necessário estar próximo de bandas e de tubos de temperatura elevada para resolver problemas de processos, não será necessário estar próximo de veios rotativos para verificar a existência de pontos quentes no motor e não será necessário aceder ao interior dos painéis com corrente ativa para verificar as temperaturas dos componentes.

Termómetros de visualização de infravermelhos

O termómetro de visualização de infravermelhos é uma ferramenta mais avançada, mas prática. Além das caraterísticas do termómetro de IV padrão, o termómetro de visualização apresenta uma imagem digital ao criar um mapa térmico de infravermelhos, de forma semelhante à de uma câmara termográfica. O termómetro de visualização de infravermelhos é mais exato do que o termómetro de IV padrão, pois não faz médias com as áreas circundantes. Em vez disso, o mapa térmico é combinado com uma imagem digital padrão para poder identificar facilmente as áreas problemáticas. Pode transferir as imagens digitais para o computador para análise adicional e criação de relatórios, o que lhe permite trabalhar a distâncias seguras muito além da maioria dos limites de choque e de arco elétrico.

O termómetro de visualização de infravermelhos combina a imagem digital do objeto a ser medido com o mapa térmico, indicando o que é agora óbvio para o trabalhador incauto: Este disjuntor específico está a sobreaquecer e representa um potencial problema de segurança.

O mapa térmico do termómetro de visualização de infravermelhos permite a rápida identificação de condutores e terminações sobreaquecidos, que são potenciais perigos de incêndio. Os contactos e os componentes elétricos sobreaquecidos podem indicar falhas por resolver no equipamento e possíveis problemas de arco elétrico. Identificar e reduzir os perigos é um objetivo de todos os programas de segurança.

Utilizar uma câmara termográfica

As câmaras termográficas não só captam e medem a energia de infravermelhos (calor) proveniente de uma fonte, como também produzem uma imagem termográfica. As cores no ecrã indicam o grau de calor proveniente de vários componentes. A visualização de uma imagem termográfica, especialmente quando a imagem digital padrão da fonte está fundida com a imagem termográfica, permite identificar facilmente os potenciais problemas. O operador pode distinguir facilmente a diferença de temperaturas em toda a imagem da fonte e determinar rapidamente se é necessária uma ação corretiva, e até mesmo a respetiva urgência.

Por exemplo, ao realizar uma análise térmica de um equipamento elétrico, a InterNational Electrical Testing Association (NETA) observa que, se uma diferença de temperatura entre componentes semelhantes sob carga semelhante se situar entre 4 °C e 15 °C, existe um problema com o componente com a temperatura mais elevada e este deve ser reparado assim que possível. No entanto, se a diferença de temperatura entre os componentes semelhantes for superior a 15 °C, devem ser efetuadas reparações imediatas.

Imagine um terminal num disjuntor trifásico a funcionar com uma diferença de temperatura significativamente superior a 15 °C em relação às outras duas fases. Tal pode significar que uma resistência muito elevada no terminal está a produzir calor de forma perigosamente elevada, que o isolamento está a começar a enfraquecer e a deformar e que o próprio disjuntor se aproxima de uma falha catastrófica. Uma medição sem contacto com uma câmara termográfica identifica a potencial falha em tempo real e, mais importante ainda, mantém o técnico a uma distância muito mais segura enquanto diagnostica um problema potencialmente perigoso.

Uma pessoa com formação para utilizar uma câmara termográfica pode integrar uma equipa de dois elementos (a pessoa qualificada adicional ajuda a configurar os limites e a abrir as portas do armário) que pode percorrer rapidamente uma instalação para identificar circuitos sobrecarregados, equipamento mecânico rotativo e elétrico avariado e problemas de processos térmicos. Evitar potenciais problemas de segurança através da correção antes da falha é outro componente de um ambiente de trabalho seguro.

Alargamento da janela de segurança

Vista termográfica da janela de infravermelhos da câmara termográfica
A utilização da janela de infravermelhos para realizar uma análise térmica do equipamento aumenta consideravelmente a segurança do técnico de termografia. As exposições a choques e arcos elétricos são reduzidas a praticamente zero.

A utilização de uma janela de infravermelhos (IV) juntamente com uma câmara termográfica permite aumentar ainda mais a zona de segurança. É possível instalar janelas de infravermelhos circulares e relativamente pequenas em armários incluídos no programa de termografia da instalação, ou montá-las em armários de equipamento que possam produzir arcos elétricos perigosos caso ocorra um acidente enquanto a porta se encontrar aberta. Ao efetuar leituras através de uma janela de infravermelhos que tenha uma classificação adequada para suportar um arco elétrico e de descarga, nem sequer é necessário abrir a porta do armário. Consequentemente, praticamente não ocorre exposição do técnico a choques ou arcos elétricos. Seria difícil alcançar maior segurança nas manutenções e nas resoluções de problemas de rotina!

Manter a distância

Uma ferramenta que é frequentemente negligenciada quando se trata de segurança é o medidor de distância por laser. Geralmente considerado um item de conveniência, esta ferramenta de medição de distância sem contacto também aumenta a segurança ao realizar determinados trabalhos como um estudo de arco elétrico. Esta análise de engenharia requer a medição do comprimento dos condutores entre equipamentos. Em vez de utilizar fitas métricas de aço e escadotes que colocam duas pessoas em posições precárias próximo e por cima dos tabuleiros de cabos e mecanismos de comutação, o medidor de distância por laser permite que apenas uma pessoa realize muitas medições de distância em segurança a partir do chão. Prima o botão de medição uma vez para ativar o laser. Em seguida, aponte o laser para onde pretende medir a distância e prima novamente o botão de medição para obter uma leitura exata de distâncias até 61 metros (200 pés) no display.

Não toque em peças com corrente ativa

Os detetores de tensão sem contacto permitem detetar tensões sem ter de tocar nas peças com corrente. Para obter verificações rápidas de energia num recetáculo ou resolver problemas num circuito de iluminação, a utilização de um detetor de tensão é mais segura do que colocar sondas num recetáculo e muito mais segura do que abrir caixas e estruturas de iluminação. Os utilizadores têm de estar cientes de que os detetores de tensão apenas indicam a energia no lado do circuito sem ligação à terra, e não no lado com ligação à terra ou de condutor neutro.

Display remoto

Os multímetros com display remoto permitem efetuar leituras até 9 metros (trinta pés) de distância do equipamento que está a ser monitorizado. A unidade do display é retirada do multímetro enquanto o medidor e as sondas (ou pinça) permanecem no ponto de medição.

As aplicações de segurança incluem fechar a porta num compartimento de centro de controlo de motor ou desligar e manter-se a uma distância segura para medir a corrente de arranque do motor. Não é recomendável permanecer diante de um motor de arranque quando um motor trifásico de grandes dimensões está a consumir várias vezes a corrente de funcionamento normal no arranque, mesmo que esteja a utilizar o EPP adequado. Uma vez mais, a utilização de ferramentas sem contacto reduz significativamente o risco do pessoal.

Ferramentas sem fios

As ferramentas sem fios dispõem da tecnologia mais avançada para aumentar a segurança. Por exemplo, pode configurar três módulos remotos no equipamento a ser monitorizado. Pode segurar e observar o multímetro digital (DMM), com o respetivo display, a uma distância de segurança superior a 18 metros (sessenta pés), onde este recebe os sinais emitidos através de tecnologia sem fios. Se pretender, é possível transferir até dez leituras em tempo real, através de tecnologia sem fios, diretamente dos módulos para um computador portátil.

As ferramentas sem fios utilizam cada vez mais os serviços de nuvem, que permitem transmitir os dados das ferramentas para uma aplicação onde os dados podem ser partilhados, armazenados e visualizados pela sua equipa no respetivo computador portátil, tablet ou smartphone.

As ferramentas de teste sem fios permitem a realização de várias leituras a uma distância segura do equipamento, sem necessidade de estar diante de armários abertos. Várias leituras significam menos tempo de acesso a um painel com corrente ativa.

Os técnicos podem permanecer fora de quaisquer limites de choque ou de arco elétrico durante a utilização do equipamento e a observação e registo de vários parâmetros. Muitas tarefas de resolução de problemas de controlos de motores são classificadas como tarefas com categoria de risco de perigo 2, que exigem a utilização de proteções para o rosto e balaclavas homologadas para proteção contra arco elétrico. Após a instalação dos módulos e a reposição das coberturas, é possível reduzir a categoria de risco de perigo a zero e eliminar a necessidade de utilizar proteções para rosto complexas, balaclavas desconfortáveis e luvas isoladoras de borracha volumosas. A realização simultânea de várias leituras ajuda a minimizar a necessidade de os trabalhadores voltarem a entrar nos limites de aproximação e de arcos elétricos.

Resumo

A utilização de ferramentas de teste sem contacto limita e, muitas vezes, elimina completamente a necessidade de exposição dos trabalhadores aos perigos elétricos de choque, arco elétrico e descargas, mas não elimina completamente a necessidade de utilização de EPP. A utilização de ferramentas sem contacto pode permitir ao utilizador reduzir o nível de risco de perigo associado a uma medição, o que reduz o tipo e a quantidade de EPP necessário. Existem perigos associados à verificação do interior de um painel com corrente ativa com as mãos, cabos de teste e pinças na tentativa de localizar pontos de medição, e associados à consequente colocação e utilização de cabos de teste enquanto roda e inclina o medidor para ler o respetivo display. Muitas vezes, são necessários dois técnicos para realizar esta tarefa, onde o técnico adicional fica exposto aos perigos. O objetivo declarado das normas de segurança elétrica é fornecer uma área de trabalho segura e prática, sem perigos elétricos. A utilização de ferramentas de teste sem contacto pode ajudar a alcançar esse objetivo e a criar um ambiente de trabalho elétrico mais seguro e eficiente para os funcionários.

Outros recursos

Aceder à versão em PDF deste artigo