Português

Por que a robustez é importante

18 de Maio de 2021 | Pinças

Alguma vez deu por si no meio de uma confusão de condutores pesados e decidiu usar as garras de uma pinça amperimétrica como alavanca para os separar. Não terá sido o primeiro.

Reconhecendo que os técnicos enfrentem habitualmente ambientes de trabalho árduos, a Fluke cria as suas pinças amperimétricas para suportar um elevado grau de uso não convencional - como um calço, alicate improvisado, quebra-nozes ou o que o técnico mais possa inventar num momento de necessidade.

Os fabricantes, claramente, preferem que os técnicos evitem usar as pinças amperimétricas como batentes de porta ou espigões num painel de porta. Contudo, os momentos de desespero levam muitas vezes a aplicações estranhas, por isso, a Fluke tornou a durabilidade dos produtos um pilar fundamental. Nos testes de laboratório para pinças amperimétricas, as garras Fluke conseguiram suportar o torque gerado por uma haste de 5/8 polegadas, sugerindo que as pinças Fluke estão equipadas para lidar com as exigências reais no local de trabalho.

“Quando se fala sobre robustez, é mais do que deixar cair a unidade e esperar que funcione”, diz Terry Morey, diretor do departamento de engenharia mecânica da Fluke. “Também se refere ao facto de a tinta não sair dos botões? Ou quanto tempo dura a tampa do compartimento da bateria? Se o produto vibra muito, será que a bateria consegue fazer a ligação? A lista não tem fim”.

“Cada peça é um «produto» em que temos de pensar”, diz o engenheiro mecânico sénior da Fluke, Brain Aikins. “Estamos constantemente a perguntar-nos: "Como é que esta peça afeta o desempenho global do produto?" ”

“Encaramos o bom design mecânico como extremamente importante para os clientes, mas é algo que está escondido”, diz Morey. “E passamos muito tempo na engenharia a garantir que o produto que criamos é seguro, além de robusto”.

Por exemplo, as ferramentas utilizadas para medir até 1000 volts têm de cumprir as especificações de “isolamento e distanciamento” para separar a mão do utilizador da eletricidade no interior do medidor. As metades da maioria dos multímetros Fluke unem-se em juntas de interligação complexas que proporcionam quase uma polegada de separação de isolamento e distanciamento.

“Passamos horas e horas a analisar isso”, diz Morey. “Não é apenas algo simples e direto, é algo tridimensional”.

Por isso, considerar a reputação de um fabricante por construção de qualidade é um importante fator a ponderar na avaliação de pinças amperimétricas. Além disso, procure os seguintes atributos:

Classificações CAT adequadas: As pinças amperimétricas fiáveis incluem classificação CAT - uma categoria e classificação de tensão emitida pela Comissão Eletrotécnica Internacional (International Electrotechnical Commission, IEC) baseada na Suíça. A IEC estabelece as normas de segurança e qualidade internacionais para produtos eletrónicos.

Para produtos de medição elétrica, a classificação CAT indica que o circuito de entrada do medidor foi concebido para suportar transientes de tensão que se encontram normalmente num de três ambientes elétricos sem lesionar o utilizador (ver diagrama abaixo). Se, por exemplo, precisar de fazer medições num painel elétrico com 480 V, irá precisar de um medidor com classificação CAT III-600 V ou CAT III-1000 V. As sondas de teste que utiliza com o medidor devem ter classificação CAT igual ou superior.

A classificação CAT de uma pinça amperimétrica é apresentada normalmente perto dos conetores de entrada. As pinças amperimétricas que não têm classificação CAT nunca devem ser utilizadas em ambientes de trabalho elétricos trifásicos de alta energia.

Certifique-se de que a classificação de categoria da sua ferramenta de teste corresponde à forma como a utiliza, mesmo que isso signifique mudar regularmente de medidores. Ou invista num medidor com classificação CAT IV e utilize-o de forma exclusiva, eliminando a necessidade de questionar o nível de CAT em cada medição.

Por que a robustez é importante num multímetro digital
Categoria de mediçãoDescriçãoExemplos
CAT IVTrifásica na ligação à rede elétrica, quaisquer condutores exteriores.

Limitada apenas pelo transformador do serviço público que alimenta o circuito.

Corrente de curto-circuito >50kA.

  • A "origem da instalação", onde é feita a ligação de baixa tensão (cabos de entrada de serviço) à alimentação elétrica.
  • Medidores de eletricidade, equipamento principal de proteção de sobrecarga.
  • Exterior e entrada de serviço, quebra de tensão entre o polo e o edifício, funcionamento entre o medidor e o painel.
  • Linha aérea para edifício isolado, linha subterrânea para bomba de poço.
CAT IIIDistribuição trifásica, incluindo iluminação comercial monofásica.

Corrente de curto-circuito <50kA.

  • Equipamento em instalações fixas, como mecanismos de comutação e motores multifásicos.
  • Bus e cabos de alimentação em instalações industriais.
  • Cabos de alimentação e circuitos de ramais curtos, dispositivos alimentados diretamente dos painéis de distribuição.
  • Sistemas de iluminação em edifícios grandes.
  • Tomadas de equipamentos com ligações curtas à entrada de serviço.
CAT IICargas ligadas a recetáculos monofásicos.

Corrente de curto-circuito <10kA.

  • Equipamentos, ferramentas portáteis e outras cargas domésticas e similares.
  • Tomadas e circuitos de ramais longos.
    • Tomadas a distâncias superiores a 10 metros (30 pés) da fonte CAT III.
    • Tomadas a distâncias superiores a 20 metros (60 pés) da fonte CAT IV.
Categorias de medição IAW IEC/EN 61010-031

Verificação independente: Embora a IEC desenvolva e proponha normas, não é uma agência reguladora e não aplica as normas. Por isso, é sensato procurar o símbolo e número de listagem de um laboratório de testes independente como o Underwriters Laboratories (UL), Canadian Standards Association (CSA Group) e a TÜV Rheinland ou VDE na Alemanha. Os respetivos símbolos apenas podem ser utilizados se o produto tiver recebido aprovação nos testes de acordo com as normas de tal entidade, baseadas em diretrizes nacionais/internacionais.

Verificação independente