Português

Comparar pinças amperimétricas a multímetros digitais

Um multímetro digital é basicamente uma ferramenta para medir tensão com algumas capacidades de corrente. Uma pinça amperimétrica é basicamente uma ferramenta para medir corrente com algumas capacidades de tensão. São instrumentos claramente diferentes, cada um com as suas próprias vantagens.

Um multímetro digital (digital multimeter, DMM) permite-lhe realizar trabalho eletrónico porque disponibiliza resolução elevada, com medições em miliunidades: milivolts, miliamperes e miliohms. Também lhe permite efetuar medições elétricas, embora a corrente normalmente esteja limitada a menos de 20 amperes. Um multímetro digital, contudo, pode medir correntes mais elevadas se for associado a um acessório de pinça de encaixe.

Uma pinça amperimétrica normalmente mede ao décimo ou centésimo de uma unidade, em vez de nas miliunidades disponíveis no DMM. Isto é suficiente para as tarefas elétricas.

Situações de medição

No passado, os eletricistas utilizavam sondas de teste em vez de uma pinça para medir a corrente. Uma pinça permite medir corrente sem interromper o circuito e conseguir uma leitura da corrente.

Além disso, uma nova geração de pinças amperimétricas utiliza sondas de corrente flexíveis, a que a Fluke designou como iFlex®. Estas sondas de bobina de Rogowski conseguem comprimir-se entre cabos firmemente compactados ou em redor de condutores grandes. Podem ser úteis em várias situações:

  • Medir um sinal de velocidade de transportadora analógica e a respetiva corrente do motor em simultâneo, para que consiga calibrar o sistema para o fluxo de processos necessário.
  • Monitorizar a saída de solenoides enquanto monitoriza a entrada de PLC, para que possa testar o solenoide.
  • Medir simultaneamente tensões eletrónicas e correntes elétricas numa transmissão de motor, para solucionar problemas de flutuações de velocidade da linha.
  • Monitorizar tensão e corrente num cabo de alimentação simultaneamente, para detetar disparos incómodos.

As medições simultâneas de tensão e corrente fazem parte da deteção e resolução de problemas. No entanto, não é possível realizar medições simultâneas com um medidor exceto se configurar vários intervalos de preço no equipamento utilizado para trabalho de qualidade de energia.

A deteção e resolução de problemas eficaz requer dois medidores, um para medir corrente elétrica e outro para medir tensão. Para eletricistas, uma pinça amperimétrica é a ferramenta de diagnóstico mais versátil disponível. Os técnicos que realizam deteção e resolução de problemas em instalações industriais, no entanto, beneficiam de ter uma pinça e DMM separados.

Uma abordagem eficaz em termos de custos para muitos técnicos é comprar um instrumento de qualidade concebido principalmente para a tensão (DMM) e outra ferramenta utilizada principalmente para a corrente (uma pinça amperimétrica).

A combinação certa de equipamento de teste depende do equipamento no qual trabalha e das medições que faz. Com uma pinça amperimétrica, por exemplo, pode precisar de um filtro passa-baixo para eliminar interferência eletrónica que pode distorcer as leituras.

A seguir encontra algumas diretrizes gerais para decidir que ferramenta pode ser adequada para si:

  • DMM básico: se o trabalho exigir apenas medições de tensão e continuidade básicas.
  • DMM de gama alta: se o trabalho envolver trabalho de qualidade energética. Irá precisar de alta resolução e funcionalidades avançadas que não encontra nas pinças amperimétricas.
  • Pinça amperimétrica básica: se apenas necessita de medições de corrente básicas tais como garantir que as três fases nos cabos de alimentação têm a mesma corrente.
  • Pinça amperimétrica de registo: se tem disparos de disjuntores intermitentes que tem de resolver.
  • DMM ou pinça amperimétrica com um display removível (que pode ficar separado do corpo da pinça cerca de 10 metros): se quiser efetuar leituras remotas com maior segurança e sem precisar de um colega para o ajudar.

Pinça amperimétrica avançada: se precisar de medir de forma precisa corrente de arranque de um motor. Adicionalmente, se precisar de uma pinça amperimétrica com processamento de sinal avançado para medir a saída de um variador de frequência.